Dandara

Em abril de 2019, a Lei Nº 13.816 inscreveu Dandara no Livro dos Heróis e Heroínas da Pátria, depositado no Panteão da Pátria e da Liberdade Tancredo Neves, em Brasília. Conheça a guerreira de Palmares.

Dandara foi uma mulher negra e guerreira do quilombo de Palmares, que viveu no século XVII. Ela era mulher de Zumbi dos Palmares, auxiliando-o com estratégias de guerra contra os que queriam invadir o quilombo, que chegou a abrigar cerca de 30 mil pessoas.

As pesquisas históricas colocam Dandara como nascida no Brasil, e apontam que ela, chegando ao quilombo de Palmares ainda muito jovem, atuou na organização da produção de gêneros agrícolas e foi uma líder de forças femininas e masculinas que defendiam Palmares dos portugueses.

A guerreira Dandara é colocada como peça importante na condução do quilombo, e na decisão de Zumbi de tomar o poder e assassinar o rei anterior, Ganga-Zumba, que fizera uma série de acordos de pacificação com os portugueses, inclusive prometendo entregar futuros escravos fugidos que buscassem refúgio em Palmares.

Dandara é um símbolo da luta negra, uma mulher negra que resistiu ao sistema escravista, sendo mantida viva e popularizada através de obras como “Ganga-Zumba”, de João Felício dos Santos e de filmes como Quilombo (1984). Diz-se que em 6 de fevereiro de 1694, após o quilombo ser subjugado, Dandara se jogou de uma pedreira ao abismo para não se entregar e voltar à escravidão.