Espelhos de Vênus

O movimento feminista adotou o Espelho de Vênus como símbolo de sua luta. Ao fazer isso, promoveu nele algumas variações contemporâneas quanto ao seu entendimento, já que originalmente ele foi criado com outro propósito.

Significado de Vênus

Ressignificar símbolos ou ampliar seus significados é uma ação recorrente na história humana. Conhecer a origem dos símbolos que usamos na contemporaneidade é uma forma de ampliar nossas perspectivas, ou no mínimo, compreender de onde vieram as nossas referências.

Essa é a trajetória que faremos nesse artigo. Chegaremos aos dias de hoje, mas nossa primeira parada será na chamada antiguidade tardia.

Ouça o Podcast Mulheres de Luta – Eps. Espelhos de Vênus

A Origem do Espelho de Vênus

Até o fim da Idade Média, as áreas de estudo no ocidente não eram apartadas, nem da natureza, e nem de suas relações interdisciplinares.

Os alquimistas, por exemplo, empenharam-se em estudar diversas áreas correlatas como mitologia, astrologia, química, física, matemática, filosofia, biologia, antropologia e arte. É justamente pelas mãos dos alquimistas que o Espelho de Vênus surge, bem como outros símbolos que representam ao mesmo tempo planetas e metais, além de serem associados a deuses greco-romanos.

Esses símbolos foram encontrados primeiramente em papiros gregos antigos e posteriormente no período bizantino medieval.

No caso do Espelho de Vênus, o símbolo representa tanto o planeta homônimo como o metal cobre e a deusa romana Vênus, ou Afrodite para os gregos.

Com relação às características subjetivas do planeta, Vênus representa a união entre a realidade consciente e o subconsciente coletivo. Com base em valores e ideais, Vênus harmoniza o plano terreno na busca pela beleza e conforto.

Essa qualidade é retratada através da cruz posicionada em direção à terra. Seu formato também remete à um colar ou à um espelho de mão.

Quanto à associação ao feminino, podemos já identificar esse aspecto nesse período, uma vez que a deusa Vênus é associada ao amor e a beleza feminina. No entanto, é só no século XVIII que essa referência fica mais evidente.

Em 1751, o biólogo Carl Linnaeus escreveu uma dissertação intitulada “Plantae hybridae” e nela utilizou o símbolo do Espelho de Vênus para identificar o feminino, o de Marte para o masculino e o de Mercúrio para hermafrodita, no que se refere à plantas. Embora a biologia não os utilize mais, esses símbolos foram popularizados a partir dessas associações.

O Espelho de Vênus no Movimento Feminista

A partir da incorporação do Espelho de Vênus ao movimento feminista surgem algumas variações.

Espelho de Vênus + Punho Fechado = Feminismo Negro

O símbolo do punho fechado não é uma invenção do nosso tempo. Estima-se que tenha surgido na antiga Assíria, simbolizando resistência e força em oposição à violência praticada por invasores. Tomou popularidade durante a Guerra Civil Espanhola como “saudação antifascista”, mas foi a partir da década de 60, quando esse símbolo passou a ser utilizado pelo movimento negro, que o gesto intensificou sua força.

Estamos em 1968 nos Estados Unidos. A luta dos negros americanos pela igualdade dos direitos civis ganha força. Nesse mesmo ano ocorreu o assassinato de Martin Luther King e a Guerra do Vietnã. Os Panteras Negras ampliaram suas atuações nos Estados Unidos, seja na patrulha armada em defesa dos cidadãos que sofriam brutalidades policiais, seja na realização de programas sociais junto às comunidades negras.

O gesto utilizado pelos Panteras como saudação, tornou-se o símbolo da luta pelos direitos civis, sendo chamado de Black Power. No mesmo ano, os atletas Tommie Smith e John Carlos eternizaram o gesto fazendo-o, mesmo sob represálias, no pódio das Olimpíadas do México.

Ainda em 68, durante o Miss America, o protesto conhecido por “Queima de Sutiãs” contra a ditadura da beleza imposta às mulheres, levou mais uma vez o símbolo do Black Power entre as inúmeras faixas.

A imagem do punho cerrado refletida no Espelho de Vênus é portanto uma mescla de imagens que passou a representar o feminismo negro, bem como sua luta pelas demandas das mulheres negras.

Vênus + Marte + Vênus/Marte = Transfeminismo

Mais uma vez o Espelho de Vênus aparece, mas dessa vez acompanhado pelo símbolo de “Marte” (masculino) que lembra uma flecha com um arco, e outra flecha com um risco, mesclando traços de Vênus e Marte (feminino e masculino), simbolizando assim a transformação e a igualdade entre os gêneros.

A imagem é complementada com o punho cerrado no meio do círculo, intensificando a ideia de força e luta, nesse caso contra a biologização do conceito de gênero e a favor da inclusão das demandas das mulheres trans nas pautas feministas.

Outras Variações do Espelho de Vênus nos Movimentos Feministas

Existem inúmeras variações do Espelho de Vênus associados ao movimento feminista. Algumas delas pertencem à algum grupo, outras são criações individuais ou estilizadas de acordo com as referências de cada mulher.

Dois Espelhos de Vênus juntos, por exemplo, simbolizam a união das mulheres no movimento feminista. Já o símbolo com uma mulher ao centro com seu punho erguido e cerrado é uma variação associada ao feminismo anárquico que combate todo poder hierárquico e autoritário.

Voltando ao momento atual nos deparamos com essa variedade de imagens, o que não nos deixa esquecer que a luta ainda não acabou.

Vídeos relacionados ao tema: