Fluxo migratório no século XIX no Brasil

“Você teria mão de obra para trabalhar nessas lavouras que seria a mão de obra contratada dos ex-escravizados, só que isso não era interessante para o governo no período, eles tinham interesse em trazer uma mão de obra branca, europeia, para mudar um pouco a configuração étnica da nossa sociedade, e acabou marginalizando toda essa população negra.”

Angélica Beghini

A doutoranda em História Social e gestora do Núcleo de Pesquisa do Museu da Imigração do Estado de São Paulo, Angélica Beghini, conversou com o Mulheres de Luta sobre movimentos migratórios, destacando o período da grande migração, que corresponde ao final do século 19 e início do século 20. A pesquisadora destacou que esse foi um momento chave para compreender os fluxos migratórios no Brasil.

Foi nessa época que a sociedade brasileira recebeu a expressiva chegada de imigrantes, em sua maioria europeus, mas incluindo também asiáticos e árabes. O momento político sócio econômico do Brasil à época inclui a abolição da escravatura, mas especialmente no Sudeste e em São Paulo, também temos um crescimento significativo da economia cafeeira.

A política de migração incluía a contratação de mão de obra, mas também servia à uma política de branqueamento da população, como destaca Angélica Beghini.