Expectativa de gênero no meio rural

Lorena Moraes, doutora em Ciências Sociais e pesquisadora, falou ao Mulheres de Luta sobre o artigo “Mulheres rurais nordestinas e desviantes: um estudo sobre a quebra das expectativas de gênero no meio rural”, que escrito em colaboração com Nathália Marques da Silva Nascimento.

A pesquisa aponta que muitas mulheres nordestinas que vivem em espaços rurais têm rompido com as expectativas de comportamento social, com relação ao gênero. Participaram da pesquisa mulheres dos Estados de Pernambuco, Alagoas e Paraíba, e elas contaram suas histórias sobre como decidiram não se tornarem mães, e nem esposas dentro de um modelo de relação hetoronormativa.

Os motivos para essa subversão ao comportamento de gênero esperado são variados, mas Lorena Moraes conta que, uma vez que essas mulheres acompanharam a vida de suas mães e avós, e as viram suportar toda carga e responsabilidade familiar, decidiram que não queriam o mesmo destino. No lugar disso, decidiram trabalhar fora, estudar e aproveitar outras coisas que a vida tem a oferecer. Isso não significa, entretanto, que toda comunidade às vejam com bons olhos, já que a utilização de termos pejorativos é comum para identificar essas mulheres. Por isso, contar suas histórias contribui também para ressignificar suas vidas.