Sueli Carneiro

Aparecida Sueli Carneiro Jacoel é uma conhecida filósofa, escritora e ativista do movimento negro brasileiro, vista como referência nacional na construção do feminismo negro no Brasil e na luta antirracista. Aparecida Sueli Carneiro Jacoel nasceu na década de 50 em uma família humilde e, junto com seus pais e mais sete irmãos, sentiu desde muito jovem o racismo e a forma como ele é estruturado em nossa sociedade.

Trazendo sua experiência de vida para sua trajetória profissional e seu ativismo político, Sueli se engajou na questão do que era ser mulher negra no Brasil, fundando em 1988 o Geledés – Instituto da Mulher Negra. Pela primeira vez a pauta feminista era vista sob a ótica e o contexto negro. Além disso, Aparecida Sueli Carneiro Jacoel se formou filósofa, com um doutorado em Filosofia da Educação pela Universidade de São Paulo (USP).

Desde 1988 ela é responsável por uma série de iniciativas em prol da juventude negra e contra o racismo, também autora da obra “Racismo, sexismo e desigualdade no Brasil” (2011), que aborda de maneira crítica comportamentos, desigualdades e práticas de discriminação racial, além de apresentar os principais avanços na superação dessas questões.

Além dessa obra, Aparecida Sueli Carneiro Jacoel publicou nacional e internacionalmente diversos artigos sobre gênero, raça e direitos humanos. Em 2010, participou como expositora na audiência pública sobre políticas de acesso ao ensino superior, promovida pelo Supremo Tribunal Federal (STF), quando defendeu a política de cotas para negros. Para Aparecida Sueli Carneiro Jacoel, sua contribuição está dada, e se alegra em ver as novas gerações de mulheres continuarem seu legado na luta pela igualdade e justiça social.