Eliane Potiguara

Eliane Potiguara
Eliane Potiguara

Escritora, professora, ativista e empreendedora indígena, nasceu no Rio de Janeiro, em 1950, com o nome de batismo Eliane Lima dos Santos. No entanto, ficou conhecida como Eliane Potiguara.

Na trajetória acadêmica, Eliane Potiguara se formou em Letras e, posteriormente, licenciatura em Educação pela UFRJ. Durante esse período, participou de vários seminários na ONU que tratavam sobre direitos indígenas.

Como reconhecimento por ter criado o GRUMIN, uma organização de mulheres indígenas no Brasil, foi nomeada pelo Conselho das Mulheres do Brasil como uma das “Dez Mulheres do Ano de 1988″.

Esse reconhecimento se estendeu por seu trabalho pela educação e integração das mulheres indígenas no cenário social, político e por sua contribuição na elaboração da Constituição de 1988.

Eliane Potiguara ainda foi apresentada às Nações Unidas por meio de uma petição para participar do 47º Congresso Norte Americano. Ninguém até então tinha conseguido tal feito.

Dessa forma, fez parte por muitos anos do grupo de elaboração da “Declaração Universal dos Direitos Indígenas”, que se reunia em Genebra, na Suíça.

Em 1996, por sua dedicação a esse trabalho, recebeu o título de “Cidadania Internacional”, pela organização filosófica Iraniana Baha’i, que luta pela instituição da Paz Mundial.

A criação do primeiro jornal indígena foi posto em prática por Eliane Potiguara, e nele divulgava boletins e cartilhas de alfabetização indígena, inspirados no método Paulo Freire.

Em 1991, Eliane Potiguara organizou, em Nova Iguaçu, no RJ, um encontro com mais de 200 mulheres indígenas, que contou ainda com a participação da cantora Baby Consuelo e muitos líderes indígenas internacionais.

Recebeu, em 1992, o prêmio do Pen Club da Inglaterra por sua obra “A Terra é a Mãe do Índio“.

Ao integrar o comitê consultivo do Projeto Mulher: 500 anos atrás dos panos, contribuiu para a criação do Dicionário mulheres do Brasil.

Confira outros vídeos com Eliane Potiguara